Você acha que tem a oportunidade de fazer todos os dias aquilo que faz de melhor? Você organiza sua rotina de forma produtiva? De acordo com uma pesquisa do Instituto Gallup que reuniu mais de 198 mil funcionários que trabalham em 7.939 unidades de negócio de 36 organizações, apenas 20% das pessoas responde afirmativamente a pelo menos uma destas perguntas. E você, qual seria sua resposta? Acredita que, durante a sua rotina de estudos e atividades extracurriculares, você executa suas atividades tirando proveito dos seus talentos? Ou mais importante ainda, você conhece as suas verdadeiras forças?

O que são pontos fortes?

É muito clichê ouvirmos que devemos fazer aquilo que gostamos para sermos bem sucedidos nas nossas vidas profissionais e pessoais. Vemos fórmulas mágicas para o sucesso sendo distribuídas aqui e ali, mas será que para alcançar o sucesso basta seguirmos algum método premeditado ou é algo mais complicado que isso? Segundo Marcus Buckingham e Donald O. Clifton, autores do livro “Now, Discover your Strenghts”, é necessário criamos pontos fortes! Durante uma palestra do mega investidor americano Warren Buffett na Universidade do Nebraska, ele disse à plateia “Se há alguma diferença entre mim e vocês, pode ser simplesmente que eu levanto todos os dias tendo a chance de fazer o que adoro fazer”. Já ouvimos essa história várias vezes, certo? De acordo com os pesquisadores, o fato de vermos recorrentemente este tipo de discurso se deve ao fato de que ele é verdadeiro: como cada um de nós, Buffett responde ao mundo a sua volta de acordo com suas características inatas e, pelo fato de tirar proveito destes padrões de comportamento, faz o que faz de maneira muito mais eficiente e eficaz, transformando estes padrões, comumente conhecidos como talentos, em verdadeiras forças produtivas.

Até então nada de novo, certo? Pode ser. Mas de onde vem um talento? Posso criar talentos? Será que eu tenho um talento? São essas as perguntas que o livro busca responder. Para tal, iniciaremos quebrando duas premissas básicas que são largamente difundidas em diversas organizações:

  • Uma pessoa pode ser excelente em tudo
  • O maior potencial de crescimento de uma pessoa está nos seus pontos fracos

Muitas vezes as mesmas organizações gastam fortunas anualmente, em forma de cursos e treinamentos, buscando tornar seus funcionários mais produtivos justamente trabalhando suas fraquezas. Em um primeiro momento isso até pode fazer sentido, mas examinando um pouco mais a fundo a anatomia de um ponto forte, percebe-se que o investimento de energia fora dos nossos talentos é uma perda de tempo!

Um ponto forte, segundo os autores, é um talento que foi desenvolvido ao longo do tempo através de conhecimentos e técnicas, de forma que a pessoa executa tal atividade com desempenho estável e quase perfeito.

O que é um talento?

Qualquer padrão recorrente de pensamento, sensação ou comportamento que possa ser usado produtivamente. Assim, se você é responsável, ou organizado, ou competitivo, isso é um talento. O motivo pelo qual todos temos talentos é, essencialmente, porque estes padrões são criados pelas conexões que o nosso cérebro possui. Tecnicamente, as nossas sinapses criam nossos talentos e como seu cérebro se desenvolveu de maneira completamente diferente de qualquer outra pessoa, é lógico e natural que você desenvolva padrões de pensamento e comportamento completamente distintos de todos. Não obstante, uma vez que a nossa gama de talentos dependa do desenvolvimento do nosso sistema nervoso central, também nota-se que os talentos são imutáveis e permanentes! Portanto, não é possível mudar a sua essência, você sempre possuirá tais padrões.

Ok, mas se eu esquecer dos meus talentos e treinar constante e intensivamente outros pontos fracos de forma a melhorá-los? Eu vou progredir? Claro que vai. Mas você nunca vai desenvolver tais atividades com maestria e excelência, com desempenho estável e quase perfeito, pois a arquitetura do seu cérebro não foi projetada para trabalhar desta forma. Você estará desperdiçando seu potencial!

O jeito mais eficiente de alcançar a excelência é desenvolvendo seus talentos e torna-los seus pontos fortes. Como? Através do conhecimento e da técnica.

Como o conhecimento pode ajudar?

O conhecimento é dividido pelos autores em factual e empírico, sendo o conhecimento factual o conteúdo, enquanto o empírico é o que comumente chamamos de feeling. Para exemplo do primeiro, uma pessoa que quer vender um produto precisa conhecer as suas especificações, ou um engenheiro para projetar um motor precisa de conhecimento factual acerca de termodinâmica. O conhecimento empírico, por sua vez, não é ensinado em sala de aula, ele é completamente prático. Pode ser que você tenha um tio que reconheça imediatamente a causa de um problema no seu carro só por causa do barulho produzido, ou que sua avó saiba só olhando para a panela que você precisa adicionar mais uma colher de trigo na receita. Isso não pode ser aprendido em manuais, isso vem através da experiência.

Como as técnicas podem me ajudar?

As técnicas, por sua vez, trarão estrutura ao conhecimento empírico. Seja qual for a atividade, em algum momento alguém inteligente vai parar e descrever tal processo em um passo a passo, de forma que qualquer um possa desenvolver o processo de maneira aceitável, mas não excelente. É o caso de cursos de oratória, que vão lhe passar métodos de como falar em público, ou de uma receita de bolo, que vai guia-lo na sua preparação. As técnicas são tentadoramente úteis, mas mascaram duas falhas: elas ajudam a trabalhar melhor, mas não vão lhe destacar; E as técnicas engessam o passo a passo, tornando difícil de pensar fora da caixa.

Portanto, o conhecimento e a técnica são essenciais para a criação do seu ponto forte. Porém, sem a presença de um talento, não garantirão o destaque.

Os 34 Temas Pessoais: Talentos Inatos

De forma a facilitar a identificação de talentos pessoais, os autores do livro separaram essas diversas características em 34 temas pessoais, como segue abaixo. Qualquer pessoa possui cada uma destas habilidades, mas em níveis diferentes. Alguns destes temas, os quais você possui maior desenvoltura, são seus talentos pessoais! Talvez você reconheça alguns, outros possa procurar um pouco mais.

Como descobrir meus talentos?

Vendo a tabela com os temas pessoais você pode se perguntar: como eu sei se tal padrão meu reflete este talento? Como eu sei se isso realmente é um talento meu? A fim de ajudá-lo com esses questionamentos, seguem 4 dicas que podem auxiliá-lo:

  1. Monitore suas reações espontâneas/imediatas. Estas situações proporcionam a melhor forma de você conhecer a si próprio, já que revelam onde está a força das suas conexões sinápticas. Por acaso em situações de pressão você tende a se tornar o líder de um grupo de pessoas? Pode ser que você tenha uma inclinação ao Comando.
  2. Desejos também mostram a presença de um talento, principalmente quando se manifestam cedo. Você sonhava em ser engenheiro quando criança porque gostava de ver como as coisas funcionavam? Talvez um talento seu seja a Restauração.
  3. O aprendizado rápido é outro indicador importante. Há casos em que as nossas aptidões não se anunciam por desejos, porém, relativamente tarde na vida algo inflama o talento e é a velocidade com que você aprende a desempenhar tal atividade que serve como pista. Como exemplo, pode ser que você teve menos dificuldade que seus amigos em aprender determinada língua estrangeira. Isso mostraria uma tendência à Comunicação.
  4. Por último a satisfação em desenvolver uma atividade é também um ponto chave para determinação de seus temas pessoais, já que a construção das suas fortes conexões sinápticas faz com que, quando utilizadas, você sinta prazer. Você gosta de trabalhar com dados, analisando tendências, criando insights, tomando decisões? Talvez um dos seus temas pessoais seja Analítico.

Tudo isso serve como caminho para a descoberta dos seus talentos naturais. Como forma de facilitar ainda mais, o instituto Gallup desenvolveu um teste, chamado StrenghtsFinder, que resulta na determinação dos seus 5 temas pessoais mais fortes. O teste dura em torno de 35 minutos e é realizado online. Ele fornece pares de afirmativas, capta suas opções, classifica-as e expõe seus padrões de comportamento mais dominantes, indicando onde você tem maior potencial para verdadeiros pontos fortes. O teste já foi aplicado a mais de 50.000 participantes e apresenta 80% de confiabilidade de acordo com os pesquisadores, medida a partir da repetitividade dos temas pessoais de indivíduos realizando os testes mais de uma vez em períodos de 6 meses.

Como potencializar minha performance e do meu grupo?

Chegamos, então, ao ponto mais importante depois da definição dos seus talentos pessoais: como usar meus talentos a meu favor? Como desenvolvê-los através de conhecimento e técnica para ter uma vida verdadeiramente produtiva?

  1. Você não precisa ser bom em tudo para se destacar!! Não disperse suas energias querendo ser melhor que todos em tudo. Isso o fará não ser melhor que ninguém em nada. Foque naquilo que verdadeiramente importa e lhe traz satisfação.
  2. Você só vai se destacar maximizando seus talentos, não consertando suas fraquezas. Os seus pontos fracos devem ser apenas administrados, de modo a não apagar suas forças.
  3. Invista tempo naquilo que você gosta. Leia, pesquise, faça, discuta, expanda seus conhecimentos. Tenha um tempo para você.

Tente certas atividades, avalie, tente novamente, tente outra, uma hora eles vão aparecer. E quando aparecerem, utilize-os a seu favor. Seja a atividade que você estiver desempenhando, adapte seu modus operandi de forma a aplicar suas forças para destacar seu resultado e sentir-se bem. Se você estiver liderando uma equipe, é interessante identificar os temas pessoais de cada um dos integrantes para que você consiga direcionar o trabalho de cada um deles de acordo com suas aptidões. O livro “Now, Discover your Strenghts” possui uma apresentação de cada tema pessoal, além de recomendações para o tratamento de pessoas que apresentam estes temas. Como exemplo, para lidar com uma pessoa criativa, definida no livro como Ideativa, posicione-a onde suas ideias sejam valorizadas; tire o máximo da sua capacidade de projetar. Já uma pessoa com característica de Intelecção, mostrada como aquela que gosta de exercitar o cérebro e precisa de atividade mental constante, deve ser desafiada a pensar constantemente; dê-lhe a oportunidade de apresentar suas ideias a outras pessoas, elas se sentirão motivadas a refinar seu modo de pensar. Uma organização criada sobre os talentos individuais de cada funcionário é uma organização produtiva e eficiente!

Por fim, a sugestão que fica é: gaste tempo reconhecendo suas habilidades e pare de perder tempo naquilo que você não é bom. Uma vez que você reconhecer seus traços dominantes, será muito mais fácil planejar um caminho que lhe levará ao sucesso!

Gostou? Quer saber mais? Curta a nossa página aqui e acompanhe nossas notícias!