Confira dicas para se preparar para o TOEFL IBT e atingir a sua nota desejada.


Testes de proficiência em idiomas são imprescindíveis para qualquer oportunidade de intercâmbio, além disso, são uma das únicas formas de comprovar seu conhecimento em determinada língua. No caso da língua inglesa existem diferentes testes que são aceitos em uma variedade de locais, sendo os principais o TOEFL, TOEIC, IELTS e CEP.

Nesse post serão passadas algumas dicas de como se preparar para realização do TOEFL iBT e de fato conseguir refletir seu nível de conhecimento na prova.

Primeiros passos

A primeira questão em relação a prestar o TOEFL iBT é saber para que você está fazendo o teste, e saber qual é a mínima pontuação que você precisa atingir. Ter uma motivação concreta para estar realizando o teste é imprescindível para conseguir realizar uma boa preparação e atingir um bom resultado no teste. Sem uma motivação real para fazer o teste sua preparação não será tão eficaz quanto poderia ser.

Desta forma, se você deseja prestar o exame para se inscrever em um programa de graduação em determinada universidade por exemplo, se informe quanto à nota mínima exigida para que sua candidatura seja válida. Muitas universidades exigem não apenas uma nota mínima total no teste mas também uma nota mínima em cada uma das seções do teste. Sabendo disso você poderá direcionar seu estudo para as seções que tem mais dificuldade, podendo assim otimizar seu desempenho.

Uma dica importante, não apenas relativa ao TOEFL, é que qualquer assunto relacionado a intercâmbio demora tempo. Desta forma, prepare-se com antecedência para a realização do teste, confecção de documentos e qualquer outra questão requerida. Quanto ao teste, sugeriria a sua realização ao menos 3 ou 4 meses antes (a inscrição para o teste deve ser feita com mais antecedência) da data esperada para início das candidaturas para o programa de interesse; assim, se você não obtiver a nota mínima ainda existe a possibilidade de realizar uma segunda tentativa antes do prazo de inscrição.

Uma questão que vale destaque, é que a preparação focada para o teste visa possibilitar que você atinja a melhor nota possível de acordo com o seu nível de inglês. Mesmo que você conheça perfeitamente o teste, se seu inglês é básico ou intermediário, você não vai obter uma nota acima de 100, é necessário que você desenvolva mais o seu inglês antes de realizar a prova.

Inscrição do teste

A inscrição do teste pode ser feita de diferentes formas, das quais a inscrição online através do site da ETS é o método mais rápido e simples. Pelo site você consegue selecionar o local e a data de realização, além de fazer o pagamento das taxas relativas ao teste. De forma geral, é necessário realizar a inscrição com certa antecedência, em torno de 3 meses antes da data do teste, tendo em vista que as datas são limitadas, assim como as vagas nas instituições de teste (pessoalmente realizei 2 meses antes sem problemas).

A escolha do local de testes é importante. Principalmente na seção de speaking, na qual todos os test takers estarão gravando áudios, e no início do teste, na qual cada um dos candidatos recebe uma instrução individual e testa seu equipamento, mesmo com os fones de ouvido, o barulho pode atrapalhar a sua concentração no teste, prejudicando seu desempenho. Desta forma, tente se informar para escolher um local onde as estações para realização do teste são mais separadas ou mais confortáveis, com bons equipamentos, isso pode auxiliar na sua performance. Geralmente capitais e cidades de maior porte possuem um maior número de instituições que realizam o teste além de existir maior disponibilidade de datas. Caso você tenha que viajar para realizar o teste, recomendaria ir no dia anterior para estar descansado na hora da prova.

Quanto as taxas para realização do teste, elas variam de local para local, porém não é um teste barato (principalmente no Brasil), no meu caso custou 215,00 dólares. Então, evidentemente não é algo que você quer ter que prestar várias vezes para obter o score desejado, é ai que uma preparação adequada se torna essencial.

Como se preparar

O primeiro passo ao se preparar é fazer um teste simulado, isso é importante para você identificar em qual nível está no momento, e assim estabelecer prioridades para melhor aproveitar seu estudo. No meu caso, investi em algumas aulas particulares, e desta forma realizei esse simulado com meu professor, entretanto existem alguns sites que fazem a correção atribuindo notas a textos e áudios, como o Testden e o Linguatrip, não usei nenhum para recomendá-los mas pode ser uma alternativa. Se necessário, vale sim a pena contratar alguém qualificado para fazer isso.

Sabendo da sua condição atual, para iniciar a preparação, existem diversos materiais que podem auxiliá-lo nisso. A própria ETS possui materiais que são bem uteis para a preparação. Além disso diversos sites possuem bancos de perguntas que você pode utilizar para praticar como o Bestmytest, e a ETS também disponibiliza algumas perguntas no seu quick prep para o TOEFL, que é bem útil tendo em vista que os volumes 3 e 4 juntos são o equivalente a um teste completo, e a partir deles é possível se ter uma boa ideia de como é o teste real.

No seu estudo é interessante tentar sempre completar uma seção do teste ao estudar, para se habituar com o formato do mesmo. Nem sempre isso é possível, e exercícios rápidos de 20 ou 30 minutos já auxiliam bastante na sua preparação. Além disso, realizar algumas simulações de testes completos é importante para saber o que esperar no dia, o teste é longo durando até 4 horas.

Um ponto importante e as vezes negligenciado é saber como organizar suas anotações, o tempo de preparação pra cada uma das seções é curto e anotações organizadas dos pontos realmente importantes podem ser uma grande ajuda na hora do teste. Por outro lado, tentar anotar coisas de mais pode até prejudicar sua performance. Algumas dicas serão dadas para cada seção.

Composição do teste e dicas gerais

O teste é dividido em quatro seções: Reading, Listening, Speaking e Writing, cada uma com suas peculiaridades as quais serão melhor exploradas abaixo, junto com algumas dicas específicas para você atingir um bom desempenho em cada uma delas, entretanto algumas dicas gerais podem melhorar o seu desempenho como um todo.

Primeiramente vale ressaltar que o TOEFL é um teste acadêmico, portanto, tente utilizar uma linguagem mais formal, não utilize contrações, além disso, uma lista de palavras acadêmicas pode ser útil, como a da universidade de Oxford para substituir palavras de uso mais coloquial por palavras mais formais. Além disso, boa parte das situações que serão apresentadas no teste são relacionadas à vida acadêmica em universidades americanas, então conhecer um pouco sobre isso pode te auxiliar.

Como existirão várias situações similares, onde você terá que se referir à textos, notícias, palestras, professores, tente aprender alguns sinônimos para essas palavras, evitando assim repetições desnecessárias e enriquecendo seu vocabulário. Um dicionário de sinônimos pode ser bem útil para isso como é o caso do Thesaurus.

Além disso, como dito anteriormente o teste é longo, em torno de 4 horas, porém entre a seção de listening e speaking você terá um intervalo. É importante que você faça bom uso dele, leve algo para comer, vá ao banheiro, para que assim esteja se sentido bem para prosseguir com o teste com a sua melhor performance possível.

Reading

A seção “reading” do teste é a primeira a ser feita, será composta por 3 ou 4 textos extraídos de livros universitários sobre temas variados, para os quais são feitas entre 12 e 14 perguntas para cada texto havendo um tempo de 60 minutos no caso de 3 textos e 80 minutos caso sejam 4.

Nesta seção o gerenciamento de tempo é importante, o tempo é suficiente, mas não sobra. Tente utilizar em torno de 5 minutos para leitura do texto e 15 minutos para resposta das perguntas, guardando mais tempo para os textos com mais perguntas. Vale ressaltar que as perguntas relativas a um texto vão ficando gradativamente mais difíceis, então tente responder de forma mais rápida as primeiras pois precisará do tempo extra nas ultimas. Como você terá acesso ao texto enquanto estiver respondendo às perguntas, não é necessário fazer muitas anotações, apenas se identificar algo destacado ou muito importante, então uma leitura rápida porém atenta é suficiente.

Quanto à preparação para essa etapa, pratique bastante com testes simulados, como o do Bestmytest, ou dos materiais da ETS. Nesse caso o material da ETS é muito bom, pois é composto por testes antigos e as perguntas seguem um padrão similar, existem alguns formatos de perguntas que sempre aparecem nos textos e é bom estar habituado a elas. Além disso, ler textos em Inglês, qualquer livro, noticia ou post em inglês já é um treino.

Listening

Essa seção do teste é composta por 4 a 6 lectures sobre assuntos acadêmicos em geral, e também 2 ou 3 conversas entre 2 pessoas geralmente sobre algum assunto relacionado ao cotidiano na universidade. As lectures são um pequeno extrato de uma aula com um professor explicando determinado assunto, e são feitas 6 perguntas para cada uma delas, enquanto para as conversas, são feitas em torno de 5 perguntas sobre cada uma delas.

Alguns pontos que podem auxiliar durante o teste são, tentar identificar pontos evidenciados ou com mudanças evidentes na entonação de quem está falando para a qual existe um significado implícito, pois geralmente existe uma pergunta sobre isso. Além disso, detalhes são importantes, e podem ser perguntados, como é o caso de dias da semana ou períodos do dia de determinado acontecimento. Outro ponto que vale ser evidenciado é, no caso das conversações, tente identificar se existe alguma condição ou requerimento para a pessoa atingir seu objetivo, por exemplo o que ela precisa fazer para alterar o dia da sua prova.

Para se preparar, simulados auxiliam bastante e podem ser encontrados com certa facilidade, diferente do caso do speaking onde são mais escassos. Entretanto o mais importante mesmo é estar habituado a linguagem, conversar com outras pessoas em inglês, assistir séries sem legenda, vídeos no Youtube e vídeo-aulas em inglês auxiliam bastante na preparação.

Speaking

O “speaking” é composto por seis questões, cada qual com suas particularidades. A primeira e a segunda questões são ditas “independent tasks”, pois requerem que você construa a resposta apenas com seu conhecimento e ideias. Na maior parte das vezes, a primeira questão irá pedir sua opinião geral com relação à algum tópico, enquanto a segunda solicitara que você escolha entre duas alternativas e justifique sua escolha. Para essas duas questões o tempo de resposta total é de em torno de 45s, precedidos por 15s para sua preparação, ou seja saber construir sua resposta de forma rápida é essencial. A dica aqui é anotar sua resposta e duas razões para suportar ela sobre as quais você elaborará durante a fala.

As questões de três a seis são ditas “integrated tasks” pois solicitam que você dê sua resposta com base em inputs fornecidos pelo teste. A questão três geralmente é um texto ou noticia e uma conversa, a questão quatro um texto e uma lecture, a quinta apenas uma conversação e a sexta apenas uma lecture. A resposta para essas questões é de 60s enquanto o tempo de preparação de 20s, novamente construir a resposta de forma rápida é importante, tente apenas resumir o assunto abordado, só exponha sua opinião se solicitado. Tente anotar os tópicos gerais apenas e algumas informações chave, na resposta tente seguir a linha de raciocínio construída pelo próprio áudio.

Para se preparar para essa etapa em específico o primeiro passo é ler as speaking rubrics disponibilizadas pela ETS e assim saber como são dadas as notas para as respostas. Tente exercitar bastante, pegue questões na internet ou no próprio material da ETS, e grave áudios, tentando se preparar no tempo disponível de fato e desenvolver uma resposta que ocupe a maior parte do tempo disponível para cada pergunta. Após gravar os áudios escute-os e identifique seus erros para tentar corrigi-los. Naturalmente, treinar a fala com outras pessoas, aulas de conversação e etc. auxiliam bastante nessa etapa.

Writing

A etapa de “writing” consiste na produção de duas redações. A primeira é do tipo “integrated” na qual você terá um texto para ler e irá escutar a uma lecture sobre o mesmo assunto. Para essa etapa você terá 20min apenas para escrever um texto, algo em torno de 250 palavras divididas em 4 parágrafos. O principal aqui é resumir o que foi dito no texto e na lecture enfatizando as diferenças entre os dois, muitas vezes um irá contradizer o outro ou fornecer uma abordagem diferente do assunto e isso deve ser evidenciado no seu texto quando for o caso, não é necessário dar sua opinião sobre o assunto.

A segunda é do tipo “independent”, ou seja você terá que dissertar sobre um assunto proposto sem materiais de apoio, apenas com suas ideias e conhecimentos prévios. Para essa etapa você terá em torno de 30min para escrever seu texto, e é esperada uma redação de 300 a 400 palavras, geralmente a estruturação em quatro parágrafos facilita o desenvolvimento (introdução, dois de desenvolvimento e conclusão).O primeiro passo na preparação é novamente ler as writing rubrics disponibilizadas pela ETS para assim compreender o que se espera de uma redação e como ela será avaliada. Para melhorar suas habilidades de escrita, a repetição é muito importante, tente escrever o máximo de textos possíveis e pedir para alguém corrigi-los, leitura de textos e livros também ajuda bastante, principalmente para melhorar erros gramaticais que sempre ocorrem. Para as respostas, ter templates prontos de texto, sabendo o que escrever em cada parágrafo agiliza bastante o processo. Enquanto estiver praticando sua escrita recomendo começar redigindo alguns textos sem muitas preocupações relacionadas ao tempo (ainda assim tentando não ser tão demorado) para realmente se adaptar ao tipo de texto e aos templates que irá utilizar. Entretanto depois de praticar algumas vezes passe a se atentar ao tempo, que é essencial na hora da prova, quando o relógio zera você não poderá mais escrever nada.

Ao praticar, escreva no computador, em um arquivo de texto com o corretor desligado, para se aproximar ao máximo da situação do teste. Quando terminar de escrever ligue o corretor novamente para identificar os erros gramaticais cometidos e tente corrigi-los sem a sugestões do programa, se não conseguir busque aprender essas palavras.

Na internet existe uma infinidade de tópicos para o “independent writing” apenas selecione alguns aleatoriamente e pratique a escrita. Entretanto, para parte do “integrated writing” a quantidade de exercícios que podem ser utilizados é bem menor, então faça bom uso dos que encontrar, a maior parte deles será através de testes simulados, porém os materiais da ETS já citados anteriormente são uma boa fonte para esses exercícios.Vale ressaltar que essa é provavelmente a parte mais difícil para se preparar sozinho, ter alguém experiente lhe auxiliando ajuda muito. Pedir para alguém com elevado conhecimento da língua ou se possível pegar um professor para corrigir seus textos e apontar pontos que podem ser melhorados é a melhor forma de se preparar.

Gostou? Quer saber mais? Curta a nossa página aqui e acompanhe nossas notícias!