Uma das partes mais importantes depois do próprio orador em uma apresentação é o recurso visual que ele utiliza. Se é algo muito denso e mal formatado, a tendência é que a apresentação fique cansativa e confusa. Porém se é algo muito simples e sucinto, a apresentação pode não agregar nenhum valor ao que o próprio apresentador diz. Ou seja, o recurso visual deve ser feito de uma forma que ao tempo que agregue valor ao que é dito, consiga trazer a informação de uma forma fácil e interessante para a plateia.

A ideia nesse post é justamente trazer direcionamentos básicos para que você consiga montar slides interessantes tanto a nível de conteúdo quanto a nível de formatação. Dessa forma, você poderá aliar as informações do post Tornando suas apresentações melhores com o que falaremos aqui para melhorar os dois postos-chaves em suas apresentações (recomendamos a leitura dos dois).

Como essa melhora de slides envolve dois pontos principais, podemos separar a nossa aproximação ao tema em dois grandes grupos. Importante destacar primeiramente que existem outros fatores que influenciam, porém aqui vão os principais:

Formatação

A formatação pode ser destrinchada em:  fontes; utilização do espaço e utilização de imagens e recursos visuais.

Fontes

Nas fontes devemos priorizar tamanhos que não forcem a leitura e ao mesmo tempo não sejam muito grandes. Uma boa faixa para tamanho de fonte vai de 28 a 30 pontos.

Outro aspecto de fonte são seus diferentes tipos. Em apresentações formais opte por usar fontes padrões, como Arial ou Helvetica ou algumas outras como Tahoma ou Verdana. Tipografias muito fora dos padrões normais podem dar um tom mais infantil para sua apresentação e muitas vezes descredibilizá-la.

Utilização de espaço e recursos visuais

O aproveitamento de espaço é um tópico muito importante para uma boa organização do slide, porém devemos tomar alguns cuidados. A proximidade entre textos e imagens é um deles. Sobre isso é interessante sempre deixar um pequeno espaço entre eles, chamado de respiro, e nunca sobrepor esses dois objetos. O mesmo pode ser dito para o espaço entre textos e as margens do slide.

Uma ferramenta que também é sempre utilizada para a separação de tópicos em slide de texto são os bullets. Eles são geralmente úteis para dar mais objetividade à apresentação, porém podem acabar confundindo a plateia caso utilizados com vários tipos de hierarquia. Dessa forma, a recomendação é evitar ao máximo mais do que três níveis de hierarquia nos bullets.

Outro ponto importante e que pode dar mais crédito à apresentação é a qualidade das imagens que você utiliza. Sempre opte por imagens com uma qualidade superior, em geral com um tamanho mínimo de 1024 x 768 px. O próprio Google tem um filtro de pesquisa que ajuda na classificação tamanhos de imagens.

 

Conteúdo

Como já dito anteriormente, o slide deve ter informação suficiente para não deixar a apresentação cansativa e ao mesmo tempo não passar informações que não agreguem nada para aqueles que estão na plateia. Aqui entra um problema muito comum: encher o slide de informações a ponto do apresentador se tornar somente um leitor daquilo que está escrito e não um orador de fato.

“A ideia do recurso visual é de ser um apoio ao palestrante, e não o inverso.”

Esse apoio, claro, pode ser de diferentes formas: exposição de pontos mais importantes que foram ditos, exposição de informações que comprovem o que é dito, etc. No geral, vai depender de você refletir se existe uma razão para colocar aquilo no slide.

Uma vez que sabemos o que deve ser colocado na apresentação, devemos organizar as informações da melhor forma.

Primeiramente, tente seguir uma linha de raciocínio clara. A forma como é destrinchado o que você gostaria de falar pode ajudar muito na compreensão da informação, isso tanto a nível macro, de organização de como você vai trazer aquele tema no seminário, mais propriamente como você vai trazer sua agenda, como também a um nível micro, de organização da informação dentro de cada slide..

O primeiro passo é sempre definir como você destrinchará o tema. Por exemplo, se eu fosse fazer um seminário sobre esse tema que estamos trazendo eu usaria uma agenda com a seguinte separação de temas.

Assim a minha plateia saberia exatamente o que eu gostaria de falar e como eu traria cada tópico.

Da mesma forma, dentro de cada slide é necessário seguir uma linha de raciocínio clara. Para não sair desse objetivo tente evitar sempre textos dispersos na área do slide e também tome cuidado para não dispersar o próprio conteúdo que você quer passar.  Os exemplos abaixo definem bem casos desses dois tipos de problema.

Concluindo…

Aqui tentamos trazer alguns direcionamentos mais básicos para o desenvolvimento de uma apresentação, além de pontos para se tomar cuidado. Obviamente algumas dicas podem ser conflitantes com o perfil de apresentação que você busca ou com alguma ideia que você gostaria de passar. Ou seja, por mais que essas recomendações sejam padrões e válidas para uma grande parte dos casos, é necessário que você avalie o seu caso.