Com os processos seletivos cada vez mais complexos, apenas um bom currículo já não é mais suficiente para conquistar sua vaga no mercado de trabalho. Destacar-se em todas as etapas de um processo seletivo se tornou essencial e a etapa da entrevista continua sendo a principal na seleção de candidatos.

Uma das várias maneiras de se destacar na entrevista de emprego e criar laços de confiança com seu entrevistador é utilizando técnicas de rapport.

Segundo Anthony Robbins “Rapport é a capacidade de entrar no mundo de alguém, fazê-lo sentir que você o entende e que vocês têm um forte laço em comum. É a capacidade de ir totalmente do seu mapa do mundo para o mapa do mundo dele. É a essência da comunicação bem-sucedida.”. Por isso, esta técnica foi popularizada em áreas como vendas, coaching e negociação, para criar o sentimento de empatia e acelerar o processo de proximidade, aumentando a receptividade a troca de ideias e criando laços de confiança mútua.

Quando estamos confortáveis ao redor de alguém, inconscientemente realizamos técnicas de rapport. Realizar o espelhamento ou a combinação passa a mensagem de que você confia e está à vontade com a pessoa, enquanto a equiparação cruzada demonstra que você tem características em comum com ela. Conheça sobre essas técnicas abaixo!

 

Espelhamento

Uma das técnicas mais utilizadas, o espelhamento consiste na incorporação de elementos da linguagem corporal de quem se deseja criar rapport.

Como usar:

1. Postura Corporal

Atitudes como cruzar as pernas ou sentar-se encostado na cadeira demonstram muito sobre sua personalidade e seu estado emocional no momento, espelhar o tipo de postura de seu entrevistador pode fazer você ganhar muitos pontos com ele.

2. Voz

Características como tom, ritmo e volume da voz podem ser facilmente espelhados em uma entrevista. Tente seguir o mesmo padrão de seu entrevistador: se ele fala de forma mais lenta, evite falar rapidamente; o mesmo vale para o volume da voz, evite falar baixo se seu entrevistador tem um volume de voz mais alto.

3. Respiração (para os mais experientes)

Pessoas mais experientes com o uso de técnicas de rapport conseguem inclusive espelhar a respiração do entrevistador. Igualar o ritmo de respiração pode ser eficaz para gerar uma maior empatia, porém deve ser usado apenas por quem já domina a habilidade de espelhar.

 

Combinação

A combinação pode ser considerada como uma técnica similar ao espelhamento, porém, enquanto o espelhamento é feito instantaneamente, a combinação é feita alguns momentos depois da manifestação da característica a ser combinada.

Como usar:

1. Escolha de palavras

Durante o diálogo, suas palavras podem ser combinadas de forma a serem iguais a de seu entrevistador. Por exemplo, se um mesmo termo foi utilizado por diversas vezes, é desejável que você o utilize ao invés de seus sinônimos.

 

Equiparação cruzada

Entre as técnicas citadas, a equiparação cruzada pode ser considerada como a mais poderosa. Ela consiste em realizar um movimento semelhante ao que foi feito por quem está sendo espelhado, tendo como principal característica ser mais discreta do que as anteriores.

Como usar:

1. Movimentos Corporais

Movimentos usuais e a frequência de movimentação são características importantes para a criação de rapport. Se seu entrevistador faz algum movimento com frequência, tente fazer algum gesto semelhante, como batucar com os dedos se seu entrevistador tem o hábito de bater os pés constantemente.

2. Expressão Facial

Expressões faciais como morder os lábios ou levantar as sobrancelhas podem ter expressões semelhantes, tente explorá-las.

 

E o mais importante…

  1. Todas as técnicas citadas devem ser feitas de forma sutil, escolhendo utilizá-las para apenas algumas características.
  2. Para se tornar efetivo, o rapport deve ser incorporado em sua rotina e se tornar uma atitude natural. Tente começar a incorporar os elementos gradualmente no seu dia a dia, até que adquira o hábito de realiza-lo.
  3. Tente começar a utilizar rapport gradualmente, espelhe apenas uma característica até que esta prática se torne natural. Adicione mais características conforme for adquirindo a habilidade de espelhar de forma sutil.
  4. Se a utilização das técnicas for eficaz, você poderá perceber que além de você realizar as técnicas de rapport, as pessoas farão uso delas com você, seja conscientemente ou inconscientemente.
  5. Em muitos casos, quando há uma grande dedicação ao aprendizado do rapport como técnica, os usuários percebem esta atitude se entranhando em seus hábitos, mudando suas formas de ser e de ver a vida. Eles ganham uma habilidade de entender melhor as pessoas, de se relacionar com elas, de trabalhar em grupo, ajudar as pessoas e de aceitar serem ajudados. Enfim, o que se inicia como uma busca de uma vantagem competitiva, hoje, tornou-se uma qualidade, um aprendizado de empatia e até, em muitos casos, a formação de uma pessoa mais solidária.