Dê adeus aos templates prontos!


Anteriormente, no Blog do PET-MA, já falamos um pouco sobre a importância de slides bem formatados para transmitir com clareza a ideia central de uma apresentação. Um conteúdo bem organizado, seguindo algumas regras básicas de formatação é essencial para que a audiência acompanhe as palavras e a linha de raciocínio do apresentador. Neste post, no entanto, vamos um pouco além dessa organização básica, para focar em um ponto que pode fazer com que seus slides se destaquem e realmente cativem a atenção da platéia: o design.

O que você faz quando abre o Powerpoint? Muitas vezes ficamos amedrontados por um slide em branco e acabamos recorrendo aos templates que já existem no programa. No entanto, esses modelos não são nada dinâmicos e, se não forem modificados, podem resultar em apresentações genéricas e previsíveis. Ao contrário do que muitos pensam, não é difícil nem demasiadamente trabalhoso personalizar um slide do zero. Existem vários recursos gratuitos na internet que, aliados ao Powerpoint, podem tornar esse processo mais rápido e gerar resultados incríveis. Se você não sabe por onde começar, aqui vão algumas dicas práticas de como criar um design atrativo e profissional.

1 – Crie uma unidade visual para seu tema

Entender o tema da sua apresentação é o primeiro passo para criar um design personalizado. Antes de começar a escrever e procurar imagens é preciso que você responda algumas perguntas sobre as circunstâncias em que o conteúdo será apresentado. Pense, por exemplo, na reação que você quer provocar na audiência, no ambiente em que os slides serão mostrados e no teor da sua fala. Através dessas respostas, fica mais fácil entender qual o grau de formalidade da sua apresentação e, dessa forma, alinhar o tema aos recursos visuais mais adequados.

Por exemplo, se você pensa em apresentar um seminário sobre um tema leve, em um tom mais descontraído, uma ótima opção é a utilização de vetores e fontes mais divertidas. Já se o tema é técnico e apresentado em um ambiente corporativo, ícones, fotos e uma paleta de cores menor podem ajudar a criar um visual mais formal. É válido ressaltar, no entanto, que não existe nenhuma regra estrita quanto a isso, tudo vai depender da sua habilidade e experiência no assunto. Um detalhe muito importante é não variar os estilos no meio da apresentação. É necessário manter uma unidade visual, utilizando as mesmas fontes e estilo de imagem em todos os slides!

Além disso, aproveite esse momento para soltar a criatividade e pensar em como você pode incorporar o conteúdo que será abordado no design. Se na sua apresentação você vai falar sobre ferramentas de busca, porquê não utilizar uma barra de pesquisas do Google para escrever seus títulos? Ou, se o tema foi ligado à programação, que tal destacar alguns textos com uma fonte utilizada em editores de código? Esses pequenos detalhes dão um toque especial nos seus slides e ajudam a plateia a ficar ainda mais imersa no conteúdo da sua apresentação.

2 – Defina uma paleta de cores

Não é uma regra, mas se você tem medo de exagerar nos recursos gráficos e sua apresentação acabar perdendo o tom profissional, uma boa dica é criar uma paleta de cores e segui-la ao longo de todos os slides. Se você quiser uma ajuda nessa etapa, o site Adobe Color CC permite que você explore entre milhares de paletas criadas por outros usuários. Além de fazer um download da imagem, você pode facilmente copiar os códigos RGB e hexadecimais das cores (eles podem ser úteis caso você opte por utilizar ícones ou vetores).

3 – Encontre as imagens perfeitas

Agora que você já tem uma ideia do estilo da sua apresentação, chegou a hora de procurar as imagens adequadas a ele. Independentemente do formato, é de extrema importância que as figuras tenham uma resolução alta e que não apresentem marcas d’água. Muitas vezes, é difícil encontrar as imagens perfeitas utilizando apenas a pesquisa do Google, por isso, abaixo você encontra algumas dicas de sites nos quais você pode encontrar imagens gratuitas e de alta qualidade.

Para fotos: Pixabay e Pexels

Ambos os sites têm um vasto banco de fotografias totalmente liberado para edição e uso. São fotos em alta resolução das mais diversas categorias. No Pixabay você pode, ainda, filtrar os resultados por categoria e cor. Caso não encontre o que procura nesses domínios, confira essa lista com mais de 70 sites com propostas semelhantes.

Para vetores: Freepik

Vetores são um conjunto de linhas e expressões matemáticas que são processadas por softwares para gerar desenhos (ao contrário de pixels, como nas fotografias). A maior vantagem de utilizá-los está em poder expandir e editar as cores das figuras sem correr o risco de acabar com uma imagem pixelada ou sem nitidez. O melhor site para encontrar vetores na internet é, sem dúvida o Freepik, que está sempre sendo atualizado com novas coleções e permite uma grande quantidade de downloads gratuitos por dia. Ao fazer uma busca, você talvez observe que muitas das imagens apresentam fundos e vários elementos que você, talvez, não queira na sua apresentação. No entanto, saiba que é possível editar essas figuras no próprio Powerpoint, sem a necessidade de abrir softwares especializados como o Illustrator e o CorelDRAW.

Após escolher a imagem no Freepik, faça o download do vetor e localize o arquivo de extensão .eps, é ele que contém as informações da forma. Em versões mais antigas do Powerpoint, é possível arrastar esse arquivo diretamente para o slide desejado e começar a editar. Nas versões mais recentes, no entanto, o programa não suporta mais esse tipo de arquivo e é necessário fazer antes uma conversão para o formato .emf. Uma forma rápida de converter os arquivos é utilizando a ferramenta online CloudConvert.

Com o vetor aberto no Powerpoint, clique com o botão direito na imagem e selecione desagrupar quantas vezes necessário, até que todas as formas se tornem objetos isolados. Agora você já pode apagar partes da figura e editar os preenchimentos e contornos como preferir. Caso você opte por se restringir a uma paleta de cores específica, utilize os códigos RGB para colorir os vetores. Dica: Após fazer as alterações, selecione todo o conteúdo da imagem e selecione agrupar para evitar distorções no redimensionamento.

Para ícones: Flaticon

Dos mesmos criadores do Freepik, no Flaticon você encontra milhares de ícones agrupados em pacotes por temas. Os ícones costumam ser menos detalhados do que os vetores e são perfeitos para acrescentar detalhes discretos em apresentações mais formais. No Flaticon, há a vantagem de se poder editar as cores dentro do próprio site antes de fazer o download do arquivo no formato e tamanho desejado.

Uma dica para slides mais profissionais é evitar misturar estilos muito diferentes de ícones ao longo da apresentação. Se você está utilizando ícones monocromáticos e com preenchimento, colocá-los ao lado de ícones coloridos ou com apenas contornos pode quebrar a uniformidade dos slides e dar a eles um aspecto mais bagunçado. O mesmo vale para a utilização de vetores: procure buscar imagens que casem umas com as outras para não acabar criando distrações e tirando o foco do seu conteúdo.

4 – Dê vida aos slides com transições e animações

Com seus textos e imagens posicionados, chega a hora de criar movimento na sua apresentação através de animações e transições. Digamos que você está apresentando um tema complexo de ser entendido e quer fazer alguma analogia para facilitar o entendimento. Aproximar imagens e palavras pode fazer com que a audiência associe melhor os termos e entenda a relação deles, acompanhando seu raciocínio. Além disso, quando você faz uma troca de slides, é interessante que você revele os tópicos apenas a medida em que eles são mencionados. Apresentá-los de uma vez só pode fazer com que a plateia distraia-se lendo o que está por vir e não se concentre na sua fala atual.

Uma novidade incrível no que diz respeito às transições é a ferramenta “transformar”, disponível nas versões mais recentes do Powerpoint. Com ela, é possível mover e redimensionar objetos entre um slide e outro, criando o aspecto de uma animação de uma forma extremamente rápida e simples. Confira mais sobre o efeito no vídeo a seguir. Mas tome cuidado! Animações e transições em excesso podem prejudicar seus slides.

Clique para assistir!

5 – Não fique preso a um padrão

Criar seu próprio template lhe dá total liberdade para mostrar o conteúdo de formas diferentes da que temos como padrão. Se sua intenção é a de realmente puxar a atenção da plateia para a sua apresentação, evite ficar preso apenas à estrutura de títulos e tópicos, muito utilizada nos templates prontos do Powerpoint. Em alguns slides, mova textos para lugares inusitados, combine-os com o formato das imagens e destaque dados e números importantes com tamanhos diferentes. Uma apresentação dinâmica e bem construída, além de garantir que a informação está sendo transmitida da forma correta, mantém a plateia focada, pois cria expectativa a cada troca de slide.

É claro que criar slides profissionais é uma tarefa que exige muita prática e o desenvolvimento de um olhar crítico, pois não há uma regra universal para ser seguida. Dentro do PET-MA, exercitamos essas habilidades todos os semestres na apresentação de seminários. Com as dicas deste post, você já tem acesso a alguns dos principais recursos disponíveis na internet e no Powerpoint, que permitem a criação de apresentações com qualidade em pouco tempo. Agora, é a hora de colocar a mão na massa, soltar a criatividade e se preparar para criar slides incríveis!

Gostou? Quer saber mais? Curta a nossa página aqui e acompanhe nossas notícias!